segunda-feira, 29 de março de 2010

Volúpia.

Teu olhar me leva a loucura
Cada toque de suas mãos me provoca
Basta-me sentir tua respiração e meu corpo em transe entrega-se
Desejo-te mesmo sabendo que meu desejo terá outro fim
Desejo o que desejo pra mim
Desejo que em meus braços desejes também a mim
Desejo-te, quero amar-te, acarinhar-te, sentir-te
Quero!Imploro! Ordeno!
Puxa-me para perto de ti, beija-me o pescoço
A cada investida sua meu corpo estremece, sinto um arrepio na espinha
Posso sentir sua respiração ofegante e você sente o meu corpo pulsando
Sussurras teu desejo em meu ouvido
Dizes que o cheiro da minha pele, do meu corpo faz-te perder o controle
Olhas nos meus olhos
Fixo meus olhos nos teus enquanto tuas mãos passeiam pelo meu corpo
Nossas bocas se encontram
Você pensa que sou uma menina perdida
Me acha indecisa mas na verdade sou uma mulher que sabe muito bem o que quer
Acabou a brincadeira
Toma-me
Se me queres, serei sua!
Vem...o tempo urge e o desejo é o que nos comanda.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Crise interna.

As coisas giram em círculos na minha cabeça. E também giram em círculos quando você está aqui. Eu fico zonza com sua presença. Estou confusa, perdida.

terça-feira, 16 de março de 2010

Luxuria - Isabella Taviani.

Postando hoje apenas para compartilhar uma música que tem feito parte dos meus dias e noites insones: Luxuria, da Isabella Taviani, quem não a conhece não sabe o que está perdendo.

video

domingo, 14 de março de 2010

***



Na vida a gente caminha, faz as coisas, constrói outras, vai trilhando, caindo, levantando, buscando o equilíbrio que nos foi ensinado pelos nossos pais em inúmeras conversas na infância e adolescência...

Quantas vezes Pri não ouviu que tinha que caminhar assim ou assado?
Que tinha que correr na direção contrária do vento?

"Aiiiiiiiii Priscila não é assim!"
"Priscila, volta aqui e cata tudo!"
"Priscila pede desculpa à suas irmãs!"
" Priiiiiscila, tira a mão, não pega."

E tudo isso foi acontecendo, me amadurecendo e me transformando...transformando nisso que sou hoje e continuará me transformando sempre, pois experimento-me inacabada. Inacabada e em busca de me tornar um ser humano cada dia melhor, um ser menos instável, deixar de ser aquela Pri constantemente inconstante.

Alguém certa vez me disse:"Pri, isso é questão de equilibrio!"
Mas como falar de equilíbrio se o AMOR é o que me desequilíbra?
Amo de uma forma inquietante.
A virtude do amor é sua capacidade potencial de ser construído, inventado e modificado? O amor está em eterno movimento, e numa velocidade infinita?
Eu amo dentre todos os movimentos dele (AMOR), dos altos, dos baixos

Ps.: Falei, falei e não disse nada com nada...mas mesmo assim me deu vontade de postar.

terça-feira, 2 de março de 2010

Eu adoro ser um trapezista nesse circo escandaloso em que minha vida se transforma. Às vezes estou na corda bamba, às vezes faço papel de palhaço, às vezes rio dos outros palhaços. Tem dias que rio de mim mesmo, e tem dias que enfrento feras e metáforas. Mas vivo sempre lá em cima, trapezista da minha própria existência, bailarino da minha própria esperança. Quase sempre mando que até retirem as redes de proteção para que o risco seja maior que o riso, para que os saltos sejam mais emocionantes e mais altos, para que a aventura seja ainda mais perfeita e mais profunda. E se um dia eu voar de encontro ao chão, isso não terá nenhuma importância maior, porque também viverei a emoção da própria queda. Em nome da vertigem, toda queda tem poesia. Quem cai por amor à vida, cai sempre para cima.
(Edson Marques)