sábado, 24 de abril de 2010

Intensidade.


Intensidade ( Tania Melo)
Se preciso desnudar-me para que ,enfim,me conheças,
O faço sem preconceito, sentindo que tu mereças.
Mostro-me como sou,dos pés até a cabeça,
Meu corpo,alma e loucura,não permitem que me esqueças.

O desejo é algo intenso,mexe com o nosso querer,
Não nos deixa respirar, agimos sem entender...
Brota do fundo do peito e nos faz estremecer.
Então não bloqueio nada, deixo tudo acontecer.

Dôo-me a ti,por completo, como se fora o primeiro.
Cada vez que isso acontece, eu me entrego por inteiro.
Perco o senso e o raciocínio,enlouqueço por teu cheiro.
Minha alma se alucina, esse instante é derradeiro.

Quando nós nos entregamos, sinto dor, sinto prazer,
Dor por querer-te tanto, sem, no entanto, poder.
Mas não penso, só me entrego, deixo o amor florescer.
Fecho os olhos, beijo o sonho,nada mais posso fazer.


Publicada na Antologia Poética 'Diversos' -Outubro/2005

Andross Editora- SP.



sábado, 17 de abril de 2010

BE HAPPY



O que dá sentido a minha vida é o amor. A ponte que me leva à felicidade está ali em mim e a mim mesma cabe cruzá-la.
Felicidade não é aquele breve espaço entre os problemas. Felicidade é um estado de espírito, é saber o tempo certo de chegar e o tempo certo de sair. É na observância de nossas reais necessidades que encontra-se a felicidade.
Ser feliz muitas vezes é encontrar um vínculo com a vida por mais tênue que seja. Alguma coisa nós precisamos ter pra nos mantermos vivos... Eu abri as portas da minha vida pra felicidade!

sábado, 10 de abril de 2010

(...)


Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência, pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua desajeitada e irrefletida permanência.
(Martha Medeiros)

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Parabólica- Engenheiros do Hawaii.

Sabe aquele dia em que uma certa música não sai da sua mente em momento algum? Pois bem, desde que acordei tenho cantarolado mesmo que apenas na mente 'Parabólica' dos Engenheiros do Hawaii. Achei o vídeo dela, onde Humberto faz dueto com Clara Gessinger, postarei pra vocês.

video

"Longe, longe, longe (aqui do lado)
(paradoxo: nada nos separa)
Eu paro e fico aqui parado
Olho-me para longe
A distância não separabólica."